produtividade na agricultura

Como a tecnologia da SUPERBAC pode aumentar a produtividade na agricultura?

Por Marketing
Escrito em 3 de junho de 2020
Atualizado em 17 de junho de 2020
Blog

Nas últimas décadas, a produtividade na agricultura brasileira apresentou um crescimento muito significativo. Ao mesmo tempo, os valores dos alimentos básicos tiveram preços mais reduzidos, de modo que o país passou a se destacar no cenário mundial.

No entanto, essa produtividade não vem assim sem motivo. Estão por trás muitos investimentos em tecnologia e pesquisas que permitiram ao agricultor ampliar seus resultados na lavoura.

Neste artigo, o engenheiro agrônomo André Ortega, especialista no setor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do grupo SUPERBAC, discute algumas questões sobre a produtividade agrícola no Brasil e apresenta soluções arrojadas que têm despontado no cenário nacional.

Como é a produtividade na agricultura no Brasil e quais os benefícios em aumentá-la?

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, a produção agropecuária no Brasil cresce 3,43% ao ano, uma taxa superior ao crescimento observado pelos norte-americanos, que fica em torno de 1,38%. Em 42 anos, a produção brasileira subiu de 40,6 milhões de toneladas para 237,8 milhões. São resultados realmente surpreendentes.

Apesar disso, a falta de conhecimento ainda é um dos maiores desafios do nosso agronegócio, observa o agrônomo André Ortega, PDI da SUPERBAC. “Hoje existe muita inovação, muita tecnologia disponível para o agricultor, entretanto, pouco entendimento de como se usar isso.”

Cada região, solo, clima e lavoura vão demandar informações específicas e soluções direcionadas, de modo que não é possível apresentar uma resposta padronizada para todos. É preciso recorrer a profissionais especializados para orientar caminhos mais acertados em busca dos melhores níveis de produtividade.

A grande recorrência do tema não faz a produtividade agrícola perder sua relevância. Do ponto de vista social, ela impacta a disponibilidade dos alimentos à população, bem como a facilidade financeira de se obter esses itens. No viés econômico, temos de levar em conta que uma lavoura produtiva proporciona mais competitividade ao negócio, o que representa também produtos mais abundantes e com maior qualidade.

O que falta então para aumentar a produtividade?

Para Ortega, não há outro caminho. O agrônomo indica que é necessário “buscar novas possibilidades de forma coerente, conhecendo o ambiente de produção, e trabalhar de maneira multidisciplinar: solo, planta, clima e o manejo”. Todos esses pilares precisam ser considerados em uma visão integral para garantir mais desenvolvimento e uma produtividade maior.

Já existem diversos caminhos e soluções que visam elevar os resultados da lavoura. Vamos comentar alguns deles.

Adotar uma nova postura

Não falamos ainda aqui de tecnologias ou de práticas, mas sim de conscientização. Todos os personagens do agronegócio — o que inclui a indústria, o produtor rural, o governo e o consumidor — precisam agir na direção da sustentabilidade, tanto no que se refere ao manejo da lavoura quanto nos cuidados com a água, o solo e os demais recursos naturais.

A prática agrícola precisa ser menos invasiva e menos agressiva ao meio ambiente, adotando práticas e processos que possam elevar a produtividade sem gerar impactos que comprometam as gerações futuras.

Investir em agricultura de precisão

As tecnologias digitais chegaram à lavoura para aumentar significativamente a produtividade. No Brasil, essas ferramentas são cada vez mais presentes, especialmente em grandes propriedades.

Essa tendência está ligada ao uso da tecnologia da informação para capturar e analisar dados que dão suporte à tomada de decisões sobre as operações na lavoura. Nesse quesito, estão elencados conceitos, serviços e tecnologias como GPS, Big Data, sensores, softwares de gestão e muitos outros sistemas e dispositivos inteligentes.

Mecanizar

A mecanização não é um movimento recente, mas continua sendo um dos principais aliados de produtores rurais que apresentam alto rendimento. As máquinas agrícolas estão presentes em diversos processos do ciclo produtivo, desde o preparo do solo até o manuseio e processamento dos produtos.

Vemos diversas tecnologias da agricultura de precisão embarcadas nessas máquinas, otimizando e automatizando diversas funções, como pulverização e fertilização.

Implementar boas práticas agrícolas

Essas práticas acolhem uma série de métodos e princípios que aprimoram os resultados da lavoura, encaixam-se nas ações de sustentabilidade e lançam mão de tecnologias que nivelam a produção com os padrões exigidos pelo mercado. Podemos citar aqui o sistema ILPF (Integração Lavoura-Plantio-Flores), rotação de culturas e plantio direto, por exemplo.

Melhoramento genético

O mercado brasileiro percebeu uma grande evolução nas áreas de melhoramento de sementes e variedades. São pesquisas que geraram variedades mais resistentes, produtivas e com características mais desejáveis em aspectos comerciais e sociais. São plantas que proporcionam, por exemplo, uma aplicação menor de defensivos agrícolas e, consequentemente, reduzem o impacto ambiental e os custos da produção.

André Ortega faz uma ressalva: “A única coisa que não se evoluiu até hoje, desde quando inventaram a agricultura, é realmente… o adubo”. O engenheiro comenta os ganhos que a SUPERBAC conquistou nesse campo. Veja só!

Como a SUPERBAC pode ajudar nesse aspecto?

A SUPERBAC tem realmente conseguido interferir onde ninguém nunca fez melhorias significativas, que é a adubação, a fertilidade do solo e a construção do ambiente para o desenvolvimento da planta. “Não adiantaria nada que a gente tivesse o melhor produto, a melhor tecnologia, se o nosso solo não estivesse pronto para receber isso”, acrescenta o agrônomo.

Nesse cenário percebemos também “a redução de fertilizantes de fontes artificiais e a associação em fontes mais renováveis, em fontes orgânicas”. Então é uma crescente de realidade e não volta atrás, pelo contrário.

Algumas das principais bases da tecnologia da SUPERBAC são:

  1. plataforma mineral: tradicionalmente, os fertilizantes minerais dão uma combinação de nitrogênio, fósforo e potássio — no caso da SUPERBAC, a parcela mineral compreende o nitrogênio, fósforo e potássio, e também cálcio, magnésio e enxofre, nutrindo a planta de uma forma mais eficiente;
  2. plataforma orgânica: proporciona um ambiente mais adequado para o desenvolvimento da raiz e da estrutura da planta.

Mas como saber qual a necessidade de cada produtor? A SUPERBAC envia um profissional para “entender toda a situação daquele produtor — seja de solo, seja de clima — e elaborar aí, com esses três pilares, uma melhor utilização”.

Quais são os benefícios do Supergan?

O Supergan garante um maior equilíbrio nutricional do ambiente para elevar a produtividade da lavoura. Para alcançar esse resultado, o fertilizante é produzido de uma forma natural, combinando a matéria orgânica com micro e macronutrientes. Dessa forma, o Supergan é capaz de:

  • elevar a capacidade de enraizamento da planta;
  • recuperar o solo;
  • acelerar a decomposição da matéria orgânica para assegurar uma disponibilidade maior de nutrientes para a lavoura.

Por meio dessa plataforma, Ortega atesta que a SUPERBAC tem alcançado “um ganho potencial nos diferentes tipos de culturas que nós temos implantadas hoje no Brasil”. Então, compete ao produtor adotar as melhores práticas e tecnologias que possam elevar a produtividade na agricultura.

Quer saber mais sobre as soluções da SUPERBAC? Entre em contato com os nossos especialistas e tire suas dúvidas!

CTA_Agricultura 4.0_04

Deixe um comentário

dezoito − sete =

Fique por dentro

Fique por dentro de todas as nossas novidades e soluções, do mercado de
agropecuaria, saneamento e bens de consumo.