diminuir o uso de agrotóxicos

6 maneiras de diminuir o uso de agrotóxicos na lavoura

Por Marketing
Escrito em 17 de junho de 2020
Atualizado em 9 de junho de 2020
Blog

É indiscutível a importância dos defensivos agrícolas na produção de alimentos. Eles foram um dos grandes responsáveis por elevar a produtividade no campo nas últimas décadas. No entanto, em anos recentes, produtores e consumidores têm dado maior atenção à segurança alimentar. Isso tem levado muitos agricultores a buscar maneiras de diminuir o uso de agrotóxicos na lavoura.

Para conseguir isso, é necessário dedicar-se a pesquisas e ao investimento em novas técnicas e tecnologias de manejo na plantação. Neste artigo, você vai conhecer as principais soluções praticadas no agronegócio que são eficientes em diminuir o uso de agrotóxicos na produção agrícola.

Continue a leitura e saiba mais!

1.Manejo Integrado de Pragas — MIP

O Manejo Integrado de Pragas é uma estratégia de controle de infestações que se baseia em diversos pilares, como o controle biológico, aspectos naturais concernentes à mortalidade natural dos agentes e métodos de plantio que reduzem a incidência de pragas.

Assim, quando nos referimos ao MIP, estamos falando na verdade de diversas práticas que compõem essa estratégia. Seu objetivo não é eliminar totalmente as pragas, mas reduzir sua população a um nível que não represente dano econômico ao produtor e seja possível manter certo controle por meio de seus inimigos naturais. Isso favorece um equilíbrio natural que havia sido retirado pela plantação e pelo uso de agrotóxicos.

As demais práticas que vamos considerar a seguir também são recomendadas pelo Manejo Integrado de Pragas e trazem resultados muito expressivos.

2. Controle físico e mecânico

Trata-se da construção de barreiras físicas, como coberturas de plástico ou valas, que dificultam a passagem de insetos até a plantação. Há também armadilhas plásticas e fitas adesivas, que retêm as pragas que entram em contato com o instrumento.

Em relação à retirada de plantas daninhas no talhão, os agricultores podem contar com a capina manual, que demanda uma grande quantidade de mão de obra, e a capina mecânica, com ferramentas tracionadas por animais ou tratores.

3.Biocontrole

Biocontrole se refere à aplicação de produtos químicos de forma natural e a adoção de organismos inofensivos às plantas e à saúde humana, mas que podem reduzir, prevenir ou até eliminar de vez a infestação de pragas e doenças na lavoura, e isso também inclui as plantas daninhas.

Por exemplo, é possível introduzir na lavoura organismos vivos que são inimigos da praga ou doença. Esses podem ser predadores naturais dos patógenos das plantas.

Um exemplo é a larva do bicho-lixeiro, que é um predador natural de ovos e larvas de lepidópteros-praga. Outra aplicação é a Copidosoma sp., que ataca a lagarta falsa-medideira, na cultura da soja.

4.Rotação de culturas

Algumas práticas adotadas no plantio podem favorecer ou não as infestações. Um dos métodos mais utilizados a fim de proteger o solo e reduzir a proliferação de pragas resistentes é a rotação de culturas.

Ao passo que a monocultura favorece a fixação e multiplicação dos agentes patógenos, a alternância planejada de vegetais na área de plantio “corta” a permanência da praga por retirar do talhão a sua principal fonte de alimento.

Além de controlar pragas, a rotação de culturas também contribui para as boas condições bioquímicas e físicas do solo, facilita a adubação e repõe a matéria orgânica necessária especialmente em etapas iniciais de preparo do solo.

Para obter os melhores resultados, é sempre importante planejar adequadamente o manejo, levando em conta os seguintes cuidados:

  • de preferência, utilizar plantas comerciais que possam contribuir para a geração de renda;
  • optar por culturas que apresentam sistemas radiculares diferentes, como leguminosas e gramíneas;
  • associar espécies de vegetais que produzam um volume relevante de biomassa e que tenham um desenvolvimento mais rápido.

Outras boas práticas de plantio podem ser adotadas a fim de garantir redução de infestações, tais como:

  • plantio de culturas-armadilhas;
  • colheita em épocas menos propícias a infestações;
  • seleção de áreas mais adequadas ao plantio.

5.Tecnologias de aplicação

Mesmo no MIP, o controle químico pode ser utilizado quando as demais estratégias não foram eficientes, ou servem para complementar o tratamento. O uso adequado de agrotóxicos ainda é uma das principais maneiras de controlar infestações, uma vez que são mais baratos e fáceis de transportar e aplicar.

Nesse campo, a agricultura de precisão tem sido uma tendência importante para garantir a aplicação de defensivos nos locais certos e na medida mais adequada para a necessidade da lavoura.

Outras tecnologias auxiliam o produtor rural na hora da pulverização. Diferentes tipos de bicos podem ser utilizados conforme os objetivos e os produtos aplicados. Além disso, regulagens como velocidade de aplicação, altura da barra em relação às plantas e o espaçamento entre os bicos são configurações importantes que devem ser bem planejadas.

As tecnologias de aplicação também ajudam o produtor a gerenciar situações adversas, como a ação do vento, a volatização, escorrimentos, umidade do ar e temperatura. Com base em informações precisas, o agricultor saberá quando aplicar e que ferramentas serão necessárias para tornar a operação mais eficiente, ou seja, fazer mais, com menos, com mais qualidade e em menor tempo.

6.Produção semi-hidropônica

A hidroponia é uma técnica que usa uma mistura de água com nutrientes, longe do solo e em ambientes ideais para o desenvolvimento do solo. A semi-hidroponia, por sua vez, é uma técnica ainda mais prática. Pequenas porções de substratos são ensacados e umedecidos por meio de um sistema de irrigação interno. As plantas ficam suspensas em bancadas e recebem os nutrientes suficientes para garantir a qualidade do produto.

As vantagens do método para a redução no uso de agrotóxicos são muitas. Por estarem elevadas e em uma estrutura protegida, as plantas estão menos sujeitas a doenças e infestações. Os substratos presentes nos sacos e a irrigação em volume preciso garantem um crescimento saudável das raízes e maior força no desenvolvimento do produto. Por esse motivo, são itens de maior valor comercial.

São diversas as práticas que podem auxiliar o agricultor a diminuir o uso de agrotóxicos em sua lavoura. Com as técnicas de plantio mais sustentáveis e as tecnologias de aplicação, o produtor rural ganha um arsenal poderoso no controle de pragas, assegurando uma safra mais produtiva e lucrativa!

Conhece outras maneiras de diminuir a aplicação de defensivos agrícolas? Participe e deixe sua sugestão nos comentários!

Deixe um comentário

2 × 1 =

Fique por dentro

Fique por dentro de todas as nossas novidades e soluções, do mercado de
agropecuaria, saneamento e bens de consumo.