agricultura intensiva e extensiva

Entenda as diferenças entre agricultura intensiva e extensiva

Por Marketing
Escrito em 6 de fevereiro de 2020
Atualizado em 6 de fevereiro de 2020
Blog

Você saberia explicar a diferença entre agricultura intensiva e extensiva? Existem muitos degraus que separam as duas modalidades. Entre os principais aspectos a serem considerados estão a área de ocupação e o investimento em tecnologias de produção.

Neste artigo, vamos nos aprofundar nos conceitos envolvidos e nas diferenças entre o intensivo e o extensivo. Saiba também as vantagens e desvantagens de cada sistema e que impacto isso traz na produtividade agrícola!

Agricultura intensiva

A agricultura intensiva é um sistema de produção muito adotado em propriedades de pequeno e médio portes, que têm por objetivo principal a lucratividade. Por isso, buscam uma alta produtividade em um curto espaço de tempo.

Para alcançar esse nível de resultados, o produtor rural faz intenso uso de máquinas agrícolas, insumos, implementos e tecnologias aplicadas às diferentes operações do campo.

Em vista desse nível de investimentos, a agricultura intensiva acaba sendo muito comum em países desenvolvidos, que detêm mais recursos para esse fim. Mas também é encontrada em países em desenvolvimento e subdesenvolvidos, especialmente aqueles que produzem para exportação.

A agricultura intensiva consegue atingir uma alta produtividade por hectare, ou seja, produz bastante em um espaço cada vez menor de plantio — onde reside o foco na produtividade e em operações de preparo do solo e colheita mais ágeis e eficientes.

Assim, será comum observar implementos agrícolas como roçadeiras, plantadeiras, aradeiras, pulverizadores, tratores, caminhões, entre outras máquinas. Essa mecanização reduz de forma muito significativa a quantidade de mão de obra no campo e aumenta a necessidade de trabalhadores mais especializados, que conheçam as técnicas mais avançadas e a operação das máquinas.

Entre as principais vantagens da agricultura intensiva estão:

  • alta produtividade para atender à demanda da população;
  • aperfeiçoamento das tecnologias e técnicas de produção;
  • maior eficiência operacional, aproveitando ao máximo espaços menores de ocupação e reduzindo desperdícios de insumos.

Por outro lado, existe uma grande preocupação em relação ao impacto de agroquímicos utilizados nos processos de fertilização e no controle de pragas. Por isso, tem havido um cuidado cada vez maior com a sustentabilidade dos recursos naturais, técnicas de irrigação que evitem o desperdício de água e a utilização de fertilizantes e defensivos biológicos para minimizar os danos.

Agricultura extensiva

A agricultura extensiva é um sistema de produção agrícola que adota técnicas mais convencionais nas operações. Em vista disso, não alcança altos níveis de produtividade, de modo que é direcionada para o mercado interno ou para a subsistência do produtor.

É possível ver nesse tipo de agricultura, tanto em pequenas quanto em grandes propriedades, um largo emprego da mão de obra humana e baixo nível de mecanização. Assim, uma das principais características desse sistema é a ausência de novas tecnologias, como sementes alteradas ou agroquímicos.

A agricultura extensiva tem suas vantagens e desvantagens. Por exemplo, seus meios de produção não exaurem os nutrientes do solo e buscam meios naturais para controlar pragas. Por outro lado, perde em vantagem competitiva pela baixa produtividade.

Diferenças da agricultura intensiva e extensiva

Dadas as principais características dos dois sistemas de produção, entenda mais claramente as principais diferenças entre agricultura intensiva e extensiva.

Uso da tecnologia

Agricultura intensiva

Há uma larga aplicação da tecnologia com o objetivo de elevar a produtividade da lavoura. É comum o emprego de sementes e mudas selecionadas e modificadas a fim de garantir maior resistência a pragas e melhores condições nutricionais.

Existe um grande investimento em biotecnologia, como modificações genéticas de sementes e fertilizantes avançados. Além disso, tecnologias de irrigação, drenagem e outros meios de mecanização aprimoram e agilizam as operações.

Agricultura extensiva

São adotados instrumentos rudimentares e com maior emprego de mão de obra humana. Os níveis de mecanização são baixos ou nulos.

Valor dos investimentos

Agricultura intensiva

A agricultura intensiva é caracterizada por altos investimentos em recursos tecnológicos e em insumos. Esses custos estão atrelados à alta produtividade, que compensa o subsídio.

Agricultura extensiva

Trata-se de uma modalidade com poucos meios para fazer investimentos. Como uma agricultura de subsistência ou familiar, tecnologias caras e mais avançadas não são adotadas.

Necessidade de trabalhadores

Agricultura intensiva

A maior parte da mão de obra que trabalha no sistema de agricultura intensiva é qualificada. Uma vez que a adoção de máquinas é muito comum, a quantidade de trabalhadores é reduzida e boa parte deles está concentrada em áreas mais técnicas, de operação e manutenção do maquinário.

Por esses mesmos motivos, a agricultura intensiva sente forte carência de mão de obra especializada no campo, pois muitos dos que buscam qualificação direcionam-se para as cidades em busca de melhores condições de trabalho e salários mais atraentes, principalmente os mais jovens.

Agricultura extensiva

A agricultura extensiva, por sua vez, usa pouca mão de obra especificada. A maior parte dos trabalhadores apresenta baixa qualificação técnica e a necessidade desse trabalho manual é maior, uma vez que há baixo investimento em mecanização.

Produtividade

Agricultura intensiva

As tecnologias do agronegócio em conjunto à atuação de trabalhadores especializados tornam a produtividade da agricultura intensiva altamente produtiva — na verdade, esse é o seu principal objetivo. O produtor rural direciona seus recursos para garantir o máximo de eficiência produtiva e operacional.

Agricultura extensiva

A agricultura extensiva não tem condições de chegar próximo à produtividade alcançada pelo sistema intensivo. A baixa qualificação da mão de obra e o baixo nível de investimentos em tecnologias não permitem elevar os resultados da lavoura. Por essa razão, a agricultura extensiva acaba perdendo vantagem competitiva no mercado.

Isso não quer dizer necessariamente que a produção seja baixa. Em determinadas circunstâncias, como condições climáticas adequadas, baixa infestação de pragas e boa nutrição do solo, a produção pode ser elevada. Em lavouras maiores, é possível colher toneladas de grãos, por exemplo.

Ocupação de terras

Agricultura intensiva

A fim de ganhar mais eficiência, a agricultura intensiva usa praticamente todo o solo disponível na propriedade e todo o trabalho é otimizado por meio de maquinários e técnicas bem-planejadas.

Agricultura extensiva

Em contrapartida, a agricultura extensiva tem uma ampla quantidade de terra, mas com baixa utilização. Por esse motivo, acaba sendo menos eficiente e produzindo proporcionalmente um volume bem inferior ao sistema intensivo.

Em razão dessas diferenças entre agricultura intensiva e extensiva, essa última modalidade é utilizada por agricultores que não têm condições para investir e aprimorar seus meios de produção, ao passo que o tipo intensivo é o grande responsável por atender à demanda por alimentos no mundo.

Se você gostou do nosso conteúdo, não perca mais nenhuma postagem. Assine nossa newsletter e receba uma notificação por e-mail sempre que houver novidades por aqui!

Deixe um comentário

9 − 3 =

Fique por dentro

Fique por dentro de todas as nossas novidades e soluções, do mercado de
agropecuaria, saneamento e bens de consumo.