Veja 5 dicas para usar a água de forma mais eficiente na indústria

Waste water plant
 

A indústria é o segundo setor que mais consome água no Brasil: ela é responsável por 22% do total de seu uso — enquanto o gasto residencial de água fica em apenas 8% desse consumo total, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO).

A atual crise hídrica enfrentada no Brasil provocou algumas mudanças na indústria, preocupada com o racionamento e com uma possível falta de água — o que prejudicaria a produção e, por consequência, atingiria direta e indiretamente a economia: se a produção recua, o nível de emprego também cai, e toda a cadeia econômica é afetada. Por esse motivo, várias indústrias começaram a adotar medidas que visam o uso mais eficiente da água nas suas atividades. Dessa forma, além de se anteciparem a possíveis interrupções no fornecimento de água, as indústrias também ajudam a proteger o meio ambiente, a partir da redução do uso desse recurso nos processos produtivos. Como a água é elemento essencial para o crescimento e a sobrevivência da indústria, sua proteção é estratégica para o setor.

Pensando nisso, elaboramos 5 dicas para usar a água de forma eficiente na indústria. Confira a seguir!

1. Tratamento de efluentes

Essa é uma das medidas mais fáceis de serem adotadas pelas indústrias, mas ainda é pouco utilizada e exige investimento. Em São Paulo, por exemplo, somente 65% das médias e grandes empresas empregam essa ação para possibilitar o reúso em seus processos industriais.

Para especialistas, esta medida deveria ser considerada como obrigatória nas indústrias de todo o país. Os dados indicam que quase 4 indústrias de cada 10 descartam seus efluentes de forma incorreta à natureza, sem submetê-los a algum tipo de tratamento. O efluente industrial descartado incorretamente pode trazer danos irreparáveis ao meio ambiente, como por exemplo a poluição de rios e mananciais.

O processo de tratamento consiste em reaproveitar a água utilizada na produção industrial, ou seja, todo o efluente gerado pela indústria é direcionado para uma ETE (Estação de Tratamento de Efluentes). Neste local, é realizado o tratamento de acordo com a complexidade do efluente para posteriormente ser reutilizado em fins não potáveis na indústria (lavagem de pisos e veículos, descargas de vasos sanitários, irrigação de jardins e outros) ou somente descarta-lo na rede coletora, porém de forma correta e sem degradar o meio ambiente.

2. Monitoramento do consumo e uso consciente

O consumo consciente da água em uma indústria vai além de seu uso no pátio da fábrica. Nesse sentido, é importante checar se há vazamentos nos banheiros — como em descargas, torneiras ou pias —, o que pode ajudar a reduzir o desperdício. Orientar os funcionários a utilizar somente o necessário também faz parte do trabalho de monitoramento do consumo. Além disso, para diminuir o consumo de água, também pode-se fazer a substituição de válvulas de descarga para modelos mais eficientes e que necessitam de menos água.

3. Aproveitamento da água da chuva

Veja 5 dicas - chuva

Essa é uma medida muito difundida em bairros residenciais afetados pelo racionamento de água, e que pode ser de grande proveito para as indústrias. A água da chuva pode ser armazenada em grandes caixas, para depois ser reaproveitada.

Deve-se levar em conta que a medida deve ser complementar a outras mais eficientes, pois ela depende de um fator imprevisível, a chuva. Num momento em que chove pouco, a indústria que depende somente dessa manobra pode se ver em uma situação pior.

O recomendável seria adotar o aproveitamento de água das chuvas durante o ano inteiro, em paralelo com as outras medidas de economia e reutilização do recurso natural.

4. Modernização de tecnologias

Alguns procedimentos antes tratados como padrão em indústrias estão sendo deixados de lado por conta de sua ineficiência energética e pelo alto gasto de matéria-prima — como é o caso da água. Existem, hoje em dia, procedimentos mais modernos e tecnológicos que garantem a mesma produtividade com um consumo menor desses recursos; sendo assim, basta que a indústria adote esses novos procedimentos que o consumo será reduzido.

Como exemplo, as técnicas nos setores de pintura na indústria automobilística passaram a utilizar menos água nas tintas. A reutilização de matéria-prima, como embalagens e garrafas, também permite economizar água.

Outra medida bastante eficiente para economizar água é a lavagem a seco, empresas especializadas na chamada “faxina ecológica” usam produtos que permitem lavar um escritório de 100 metros quadrados com apenas um balde.

5. Dessalinização

Essa iniciativa já é uma realidade e que vem sendo desenvolvida com sucesso em países como Estados Unidos e Israel. O processo de dessalinização se trata basicamente de transformar água do mar em água doce, o que torna esse recurso próprio para o uso doméstico e na indústria.

No Brasil, a dessalinização ainda engatinha, mas já ajuda a combater a falta de água no Nordeste. Atualmente, nove estados contam com esse recurso, e levam água para 100 mil pessoas.

Israel, por outro lado, é um exemplo de como a dessalinização é uma solução eficiente. Uma das iniciativas de sucesso foi da empresa IDE Technologies, que construiu três usinas de dessalinização no país. 67% da água destinada ao consumo doméstico provêm desse processo.

Até Cingapura, país que conta com chuva abundante em quase todo o ano, também já começou a construir usinas de dessalinização.

Já os Estados Unidos começam a construir, na Califórnia, a maior usina de dessalinização do mundo, posto ocupado até agora por Israel. Quando estiver pronta, será capaz de suprir até 7% das necessidades de água da região.

Como a indústria é responsável por grande parcela no consumo de água, é fundamental que se adotem estratégias de otimização do uso desse recurso para que a crise hídrica não se agrave e, consequentemente, para contribuir com a recuperação dos mananciais, rios e meio ambiente.

E, como se pode ver, existem muitas maneiras de usar a água de forma eficiente! Por que então não aproveitar para começar essa otimização desde já?

Na sua indústria, você pratica alguma dessas iniciativas? Compartilhe suas ideias e experiências conosco e enriqueça o post!

One Comment

Deixe um comentário

1 × 4 =