Tratamento de efluentes industriais: conheça as 5 melhores práticas

tratamento-de-efluentes-industriais-conheca-as-5-melhores-praticas.jpeg

Toda indústria, durante seu processo de produção, acaba emitindo resíduos, tanto de forma sólida como líquida ou gasosa.

Estes compostos e substâncias residuais são chamados de efluentes industriais, possuindo caráter nocivo ao meio ambiente quando não tratados de maneira adequada e despejados sem o cuidado necessário.

O que poucos sabem é que o tratamento de efluentes industriais não é benéfico somente para a preservação da natureza, mas, também, para a própria indústria que os produzem.

No texto de hoje, você conhecerá mais sobre efluentes e a importância do tratamento de tais resíduos, além de conferir as 5 melhores práticas para serem executadas de forma sustentável pelo estabelecimento industrial. Boa leitura!

O que são os efluentes

Os chamados efluentes industriais constituem todo e qualquer resíduo derivado de uma atividade industrial ou processo que envolve transformações de caráter físico ou químico.

Podem ser classificados em efluentes sólidos, líquidos ou gasosos. Os efluentes sólidos são aqueles resíduos que geralmente ficam suspensos em uma porção líquida, sendo responsáveis por eventos de sedimentação quando não tratados corretamente.

Os efluentes líquidos, por outro lado, são resultados daquelas atividades industriais que demandam água em sua produção. Essa água fica poluída graças à quantidade de substâncias químicas em solução, contaminando rios e lençóis freáticos quando despejados com descuido.

Por fim, os efluentes gasosos são aqueles constituídos por cinzas e compostos gasosos tóxicos, nocivos tanto para a camada de ozônio, como para os seres humanos. Muitas chuvas ácidas, por exemplo, ocorrem por conta da emissão exagerada de efluentes industriais gasosos.

A importância do tratamento de efluentes industriais

No Brasil, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) exige o tratamento de qualquer efluente de origem industrial, evitando a contaminação do solo, de águas superficiais, de lençóis freáticos e do ar.

Caso uma indústria não obedeça à legislação do órgão federal, estará sujeita a cobrança de multas altíssimas que se tornam mais caras do que o próprio valor destinado ao tratamento dos resíduos.

Portanto, além de ser uma prática sustentável, visando a preservação do meio ambiente e dos bens que ele tem a oferecer no presente e nas gerações futuras, o tratamento de efluentes industriais torna-se uma prática econômica, pois muitos gastos desnecessários serão evitados e grande quantidade de matéria será, ainda, reaproveitada, gerando um excelente custo-benefício.

Para os seres humanos a prática também é vantajosa: ao proteger o ecossistema, tratando-se corretamente os resíduos, problemas como contaminação de água potável e proliferação de doenças são resolvidos, promovendo qualidade de vida para a sociedade.

Somado a isso, as indústrias que praticam e incentivam o tratamento por meio da biotecnologia estão efetuando aquilo que chamamos de marketing verde. O investimento na sustentabilidade se tornará uma marca para o estabelecimento, estimulando outros do mesmo setor a praticarem as mesmas atitudes.

5 práticas que devem ser executadas pela indústria

A seguir citaremos as 5 melhores práticas que devem ser executadas pela indústria para que o tratamento de efluentes industriais ocorra de maneira correta e com excelente custo-benefício, apostando, para isso, na biotecnologia e em soluções sustentáveis. Confira:

1. Separação de resíduos grosseiros

O primeiro passo para o tratamento de resíduo consiste na retenção e separação de partículas sólidas por meio de processos físicos. Esse processo pode ser intermediado pelo emprego de múltiplas membranas de caráter semipermeável ou grades apropriadas, sendo útil tanto em chaminés, como em dutos ou em canais de transporte de líquidos.

A semipermeabilidade da membrana permite selecionar os resíduos de interesse para posterior eliminação. O uso de membranas não exige adição de produtos químicos e demanda baixa energia, principalmente quando associadas a biorreatores.

2. Neutralização da carga do efluente

O próximo passo do tratamento de efluentes industriais é a neutralização dos resíduos. Essa etapa é constituída por processos físico-químicos, como floculação seguida da decantação primária.

A floculação consiste no agrupamento de partículas sólidas que flutuam em meio aquoso por meio da ação de substâncias específicas. Para tais partículas serem retiradas entra em ação a decantação primária, separando o lodo do material líquido por meio da diferença de densidade apresentadas pelos resíduos.

3. Diminuição da carga orgânica

A diminuição da carga orgânica faz parte do tratamento secundário dos efluentes industriais e pode ser efetuada por meio de atividades bioquímicas, sendo de caráter aeróbico ou anaeróbico.

O processo aeróbio de diminuição da carga orgânica simula a decomposição comum, estimulando a produção de micro-organismos que se alimentam de carbono e outros compostos ali presentes. Já o processo anaeróbico, ocorre na ausência de ar e os microrganismos envolvidos realização a fermentação.

Atualmente existe uma alternativa que vem ganhando muita força para diminuir a carga orgânica. Trata-se do cultivo de microalgas, em que tais seres vivos funcionam como biofiltro, permitindo que a água torne-se praticamente potável no final do procedimento.

4. Redução do lodo orgânico

Depois de passar pelo processo de carga orgânica, o lodo total resultante de todo o procedimento será tratado, primeiramente, por meio da diminuição de seu volume.

Isso ocorre por que o lodo orgânico contém muita água em sua composição. A redução de seu volume é feita por adensadores e flotadores, facilitando processos de digestão, desidratação e secagem do material.

A digestão é do tipo anaeróbica e é efetuada com a intenção de eliminar possíveis microrganismos patogênicos, além de estabilizar os compostos instáveis presentes no lodo fresco. A desidratação e a secagem são feitas para retirar o resto de água do lodo, permitindo, então, seu posterior descarte ou reaproveitamento adequado.

5. Aplicação de técnicas avançadas

Requerido para obter a chamada água de reúso, amplamente utilizada na irrigação, na refrigeração e em diversos processos industriais, o tratamento de nível avançado tem como base a biotecnologia, além de técnicas avançadas para demonstrar resultados de caráter sustentável.

Processos como a nanoinfiltração e a osmose reversa, embora mais onerosos que os demais, são muito importantes para um completo tratamento dos efluentes industriais, fazendo com que boa parte da matéria-prima utilizada esteja pronta para ser reaproveitada de maneira segura e limpa.

O tratamento de efluentes industriais é executado em muitas etapas e todas elas possuem alternativas sustentáveis, como mostramos neste texto. Os benefícios são percebidos em curto e longo prazo e englobam tanto o meio ambiente como a própria indústria e a sociedade em geral.

Gostou do nosso texto? Então acesse a nossa página e fique por dentro de todas as informações sobre processos industriais, redução de carga orgânica e outras soluções biosustentáveis!

Deixe um comentário

um × cinco =