Descubra como a biotecnologia pode ajudar no combate à crise hídrica

Post-Crise

O crescimento populacional e o aumento da expectativa de vida, somados ao estágio avançado em que se encontra a degradação dos recursos naturais, criaram uma demanda por soluções que maximizem o aproveitamento dos recursos e lidem melhor com o tratamento dos resíduos que geramos, tornando a nossa presença mais sustentável. E foi justamente para ajudar a suprir estas necessidades, que surgiu a biotecnologia.

A biotecnologia é uma área de conhecimento que engloba diversas outras áreas, como a genética, biologia celular, tecnologia da informação e robótica. Baseada em conhecimentos sobre todos os processos biológicos dos seres vivos e seus derivados, ela desenvolve novos produtos, serviços e/ou soluções para o ambiente urbano, a agricultura, a indústria alimentícia e a medicina, dentre outros setores.

Neste artigo, citamos algumas soluções em áreas de destaque, onde a biotecnologia contribui para o combate à crise hídrica, seja reduzindo o consumo ou tratando a água utilizada. Confira:

A biotecnologia como aliada do controle à falta de água

A crise hídrica já se encontra em uma situação bem alarmante. Todos os setores da sociedade buscam novas formas de lidar com os recursos hídricos de forma a garantir o fornecimento de água para toda população.

Empresas e organizações que participam do campo de estudo e desenvolvem soluções biotecnológicas possuem várias soluções voltadas para o uso mais eficiente dos recursos hídricos, reduzindo os gastos e diminuindo a poluição através do tratamento dos resíduos presentes na água utilizada. Seja para a casa, a agricultura, a indústria ou o setor público, já são muitas as soluções para serem empregadas no combate à crise hídrica pela qual estamos passando. Confira algumas delas:

Agricultura

A agricultura é um dos grandes vilões no consumo de água, sendo a responsável por 70% do consumo em todo o planeta. A biotecnologia tem realizado diversas pesquisas e desenvolvido alternativas para tornar mais sustentável a nossa produção de alimentos. À medida que novas descobertas são feitas e aplicadas, agricultores passam a produzir alimentos mais resistentes às mudanças climáticas, empregando processos de produção menos biodegradantes, mas mantendo e elevando cada vez mais o nível de produção.

Estudos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) têm identificado genes em plantas que absorvem metais pesados em uma quantidade muito mais elevada, e que poderiam ser utilizados na recuperação de águas e solos contaminados.

Alimentação

Ainda na agricultura, mais especificamente na nossa alimentação, estudos como o da Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária (Embrapa), estão desenvolvendo espécies de soja transgênica mais tolerantes a secas e temperaturas extremas. Alimentos que possam ser cultivados em condições climáticas menos propícias à vida são uma alternativa para reduzir os gastos com água e tornar possível o cultivo mesmo em regiões do país onde o recurso já se encontra escasso.

A biotecnologia no saneamento

O a falta de saneamento básico e destino adequado para os resíduos domésticos, também possui uma grande contribuição na poluição ambiental. Em meio ao aumento populacional que cresce sem uma estrutura básica de saneamento, as soluções de biotecnologia para o tratamento de efluentes, se mostram muito eficientes.

Através do tratamento de resíduos que a biotecnologia possibilita, ajudando na degradação de materiais orgânicos e outros, como gordura ou óleo, é possível garantir um retorno maior de água tratada para os efluentes. O tratamento adequado da água utilizada também pode reduzir consideravelmente o consumo e aumentar a preservação dos mananciais, já que possibilita que boa parte dela seja reutilizada no próprio ambiente, sem ser descartada.

Para tratar a água que será novamente descartada nos aquíferos, têm sido utilizados microrganismos capazes de eliminar as impurezas das águas. Esses microrganismos são selecionados e multiplicados por meio de conhecimentos e recursos da biotecnologia. Esta solução já é utilizada por diversas empresas e organizações por todo o Brasil.

A escassez e a poluição das águas ao redor do globo já se encontram em um estágio tão avançado que a preservação tem se tornado um dos temas principais nos encontros por todo o mundo, entre líderes do setor público e privado.

A biotecnologia e também outras áreas de conhecimento, que se baseiam na vida e no processo biológico por trás dela, podem trazer grandes transformações em todos os setores que conhecemos e que já têm dificuldades para suprir as necessidades de uma população que não para de crescer. O investimento em pesquisas biotecnológicas que buscam formas mais eficazes para gerir e reduzir o consumo de água pode ser o passo mais importante na contenção da crise hídrica.

E você, está por dentro de alguma pesquisa, produto ou serviço que seja fruto dos avanços da biotecnologia para combater à crise hídrica? Compartilhe o seu conhecimento ou mesmo suas dúvidas através do espaço de comentários!

Deixe um comentário

19 − 3 =