5-fatos-importantes-sobre-a-manutencao-de-cozinha-industrial.jpeg

5 fatos importantes sobre a manutenção de cozinha industrial

Por SuperBAC Biotechnology Solutions
Escrito em 20 de novembro de 2018
Atualizado em 20 de novembro de 2018
Blog

Qualquer estabelecimento comercial precisa zelar por seus equipamentos e instalações. Em um restaurante, não é diferente. Para garantir o bom funcionamento sem prejudicar a rotina do local, algumas medidas de manutenção de cozinha industrial devem ser tomadas.

Você já ouviu falar que prevenir é melhor do que remediar, não é mesmo? Essa afirmação também é válida para não deixar seu restaurante em perigo. Uma cozinha com problemas significa perda de eficiência, e, em alguns casos, pode ser necessário interromper as atividades para realizar reparos emergenciais.

Não é segredo nenhum que uma cozinha parada é sinônimo de prejuízo. Acompanhe nossas 5 dicas e descubra como evitar que isso aconteça!

1. Preocupe-se com a caixa de gordura

Você só se lembra da caixa de gordura quando ela entope e causa transtornos? Então, precisa repensar essa estratégia agora mesmo. Afinal, é muito mais simples agir de forma preventiva do que esperar que os problemas surjam para entrar com ações corretivas.

Uma das maneiras mais práticas de tratar e recuperar as caixas de gordura é apostar na biotecnologia e usar blocos sólidos contendo um consórcio de microrganismos que atuam na degradação dos resíduos presentes no sistema. Com isso, os entupimentos são prevenidos, minimizando os riscos de:

  • transbordamentos;

  • mau cheiro;

  • proliferação de insetos e roedores;

  • necessidade de manutenção de emergência.

2. Cuide da limpeza dos utensílios

Imagine chegar em um restaurante e receber um garfo com um grão de arroz preso entre os dentes do talher. Terrível, não é mesmo? Um fato como esse derruba a reputação de qualquer estabelecimento e passa uma imagem de falta de cuidados com a limpeza.

Higienizar corretamente os utensílios é primordial. O processo começa com o descarte dos restos de comida e, em seguida, a lavagem dos itens. A limpeza deve ser feita usando detergente e esponjas esfoliantes que não soltem fibras. Na hora do enxágue, deve-se dar preferência à água quente.

Para desinfecção, os utensílios devem ficar de molho por 15 minutos em água fervente, clorada ou contendo desinfetantes suaves. Os produtos usados para essa finalidade devem apresentar o registro da Anvisa, e as recomendações de uso precisam ser seguidas à risca para evitar a permanência de resíduos químicos nos materiais.

A secagem deve ocorrer de forma natural e longe dos utensílios que ainda não foram lavados. Os pratos, copos, talheres e outros itens limpos devem ser armazenados de forma ordenada e protegidos da poeira e de insetos.

Alternativamente, o estabelecimento pode investir em lavadoras de louças industriais para cuidar da higiene dos utensílios de cozinha. Os equipamentos modernos consomem menos água e permitem ciclos rápidos em altas temperaturas, além de reduzir a quebra acidental de copos e pratos.

3. Faça a manutenção frequente de utensílios e equipamentos

As superfícies dos utensílios usados no restaurante devem ser lisas, ou seja, livres de rugosidades e imperfeições que dificultem a higienização. Assim, deve-se dar preferência a materiais resistentes à corrosão, para que não sofram desgaste com os repetidos ciclos de limpeza e desinfecção.

Além disso, todos os utensílios devem ser inspecionados regularmente para avaliar se há danos que os tornem fontes de contaminação. Se algum item não estiver em perfeito estado, deve ser descartado imediatamente para não comprometer a segurança sanitária do estabelecimento.

Os diversos equipamentos da cozinha — geladeiras, freezers, fornos, fritadeiras, liquidificadores e tantos outros — devem ser cuidados diariamente. Todos devem ser mantidos limpos, porém isso não significa que as manutenções técnicas podem ser descartadas.

As ações preventivas devem ser feitas de acordo com a periodicidade recomendada pelo fabricante de cada equipamento. Algumas medidas tomadas são:

  • limpeza e lubrificação de componentes internos;

  • regulagem de motores, rodízios e engrenagens;

  • substituição de peças danificadas;

  • revisão da vedação de freezers e geladeiras.

Esses cuidados aumentam a durabilidade dos equipamentos, além de reduzir os riscos aos funcionários e prevenir perdas e desperdícios. No entanto, em algumas situações, a troca dos aparelhos é a decisão mais acertada, principalmente quando os modelos que surgem no mercado trazem novas facilidades e consomem menos energia.

4. Não se esqueça dos acessórios de segurança

Os profissionais que trabalham em uma cozinha industrial estão expostos a diversos perigos. Entre eles, se destacam o risco de cortes e o de queimaduras. Para evitar acidentes, além do zelo e responsabilidade dos funcionários, é preciso contar também com os acessórios de segurança adequados.

As luvas, por exemplo, podem ser feitas de diversos materiais de acordo com sua função. Veja:

  • luvas de malha de aço protegem contra cortes;

  • luvas de vinil descartáveis garantem a higiene dos produtos;

  • luvas térmicas evitam queimaduras;

  • luvas de látex protegem a pele dos materiais de limpeza.

O corpo dos profissionais também deve ser protegido. Nas cozinhas industriais, o modelo de avental mais utilizado é feito em aramida, material que protege contra as chamas. Para a proteção dos braços e antebraços, os mangotes de segurança com resistência ao fogo são ideais.

Nos pés, os profissionais da cozinha devem usar botas com solado antiderrapante. Isso é muito importante para evitar quedas em caso de derramamento acidental de óleo no chão, por exemplo.

Em relação à segurança alimentar, o uso de toucas e máscaras evita que fios de cabelo e saliva entrem em contato com os alimentos que estão sendo preparados. Esses itens devem ser descartáveis, o que garante praticidade e evita riscos decorrentes de uma lavagem malfeita.

5. Capriche na limpeza da cozinha

A limpeza de uma cozinha industrial deve ser muito mais cuidadosa do que a de uma cozinha residencial. O acúmulo de gordura, migalhas e outros restos alimentares é uma fonte de contaminação por microrganismos, além de ser um convite para insetos e roedores.

Para não colocar os clientes em risco, algumas medidas devem ser tomadas, incluindo:

  • usar produtos de limpeza específicos para cozinhas profissionais;

  • optar por lixeiras com pedal e tampa, descartando o lixo e higienizando as lixeiras periodicamente;

  • evitar paninhos de limpeza, dando preferência a panos descartáveis ou mesmo toalhas de papel;

  • limpar as paredes de cima para baixo, tomando cuidado com as tomadas;

  • varrer e lavar o piso do ambiente, deixando o chão livre de restos de comida;

  • desengordurar bancadas, pias, exaustores, coifas, mesas e outras superfícies da cozinha.

O que achou de nossas dicas de manutenção de cozinha industrial? Seguindo esses cuidados, você evitará que seu estabelecimento precise interromper o funcionamento para corrigir problemas que impedem seu bom funcionamento.

Agora que você já sabe como manter sua cozinha a pleno vapor, que tal conhecer o BioCubo, a solução biotecnológica da SuperBAC para a manutenção da caixa de gordura?

Para não perder nenhuma novidade, aproveite também para seguir nossos perfis nas redes sociais — estamos no Facebook, LinkedIn e Instagram.

Deixe um comentário

um × 2 =

Fique por dentro

Fique por dentro de todas as nossas novidades e soluções, do mercado de
agropecuaria, saneamento e bens de consumo.