3 passos para aumentar a produção agrícola

3-passos-para-aumentar-a-producao-agricola.jpeg

Em 2015, a produção agrícola brasileira bateu um recorde: 209,5 milhões de toneladas, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O número representou um aumento de mais de 8% em relação à temporada anterior mesmo com aumento bem menor da área plantada, que foi de 1,7%. A produção de milho, por sinal, aumentou em mais de 12% e a de soja em cerca de 11%.

Nos últimos anos, tem sido comum o aumento da produção agrícola no Brasil e isso se deve a vários fatores como a evolução no desenvolvimento das culturas, o uso da tecnologia no campo, fertilizantes, entre outros.

No artigo de hoje, vamos mostrar 3 recursos usados por agricultores para aumentar a produção local. Confira:

1 – As vantagens dos fertilizantes organominerais

As matérias-primas orgânicas que compõem esse tipo de fertilizante organomineral tem uma série de vantagens, como a correção do solo, melhorando suas propriedades físicas e aumentando a retenção de água, além de ajudar a minimizar processos erosivos e corrige o pH do solo.

Ao atuar como um melhorador do ambiente e agregador de nutrientes essenciais para o crescimento dos vegetais, esse tipo de fertilizante é um componente indispensável para aumentar a produção na sua plantação.

2 – Usar a tecnologia para aumentar a produção agrícola

No passado, os agricultores contavam com um aspecto fundamental para ter boas colheitas: a experiência. Muitas vezes sem conhecimento científico sobre os melhores processos, os ensinamentos eram passados de geração em geração e aprimorados com base na experiência de cada colheita.

Porém, recentemente, os agricultores adicionaram outro item indispensável para obter melhores resultados no campo: a tecnologia. E não estamos falando somente de máquinas mais potentes e econômicas, mas de softwares de gestão, que organizam o planejamento e auxiliam em todos os momentos, desde a preparação da terra, passando pelo plantio, até chegar à colheita.

Uma outra vantagem é a economia. Com um programa de gestão agrícola é possível racionalizar o uso das máquinas (evitando o desperdício de combustíveis e lubrificantes) e dos fertilizantes, por exemplo.

3 – Aposta na agricultura de precisão

Essa é outra maneira de garantir maior eficiência na produção agrícola por meio da tecnologia — mais especificamente, a tecnologia da informação. A agricultura de precisão tem como matéria-prima os inúmeros dados produzidos no campo para que o agricultor possa usar seus recursos da melhor forma possível.

O que isso significa? Sem a agricultura de precisão, o produtor usa uma determinada quantidade de insumos (água, fertilizantes, defensivos, por exemplo) para toda a lavoura. No entanto, uma mesma quantidade usada em um determinado local pode não ser ideal em outro espaço da mesma plantação.

Isso acontece porque, por exemplo, uma porção da lavoura pode estar em um local mais úmido que o restante (e, ao aplicar a mesma quantidade de água em toda a área plantada, é possível encharcar o solo e perder parte da colheita naquela porção).

A agricultura de precisão corrige essas distorções e permite aplicar a quantidade exata de insumos, no momento exato para obter a melhor produção possível naquele local.

Você já utilizou alguma dessas técnicas na sua plantação? Quais foram os resultados? Fale sobre sua experiência, deixando um comentário!

Deixe um comentário

três × 2 =